A Migração para o Bairro Planalto, no Município de Linhares, Impulsionada Por Fatores Econômicos e Redes Migratórias

Nome: Claudeci Pereira Neto
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 30/09/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aurélia Hermínia Castiglioni Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Antonia de Lourdes Colbari Examinador Externo
Arlindo Villaschi Filho Examinador Externo
Aurélia Hermínia Castiglioni Orientador
Ednelson Mariano Dota Examinador Interno
Gutemberg Hespanha Brasil Examinador Externo

Resumo: Os migrantes residentes no bairro Planalto tiveram como principais motivadores do ato migratório os fatores repulsores das regiões de origem, os fatores atratores do município de Linhares, proporcionados pelo seu crescimento econômico, e o impulso adicional promovido pelas redes migratórias. As atividades econômicas no município foram fomentadas, nos últimos anos, também pelos benefícios fiscais do Invest-ES e incentivos fiscais e financeiros da Sudene. Parte do território capixaba foi incluída na Sudene em 1998, após um esforço de articulação política na Câmara dos Deputados e no Senado Federal para a aprovação da emenda da deputada Rita Camata. Os trabalhos de campo em Planalto consistiram em cadastrar todos os domicílios do bairro e depois aplicar o questionário numa amostra de 350 residentes de 16 anos ou mais, com base numa amostragem aleatória, que levantou dados sobre características gerais dos migrantes, as redes migratórias, as motivações para o ato migratório, entre outros. A tabulação dos dados e o tratamento no programa estatístico SPSS revelaram que 67,4% eram migrantes. Do total de migrantes 50,4% vieram de outros municípios capixabas e 22,9% eram oriundos da Bahia. Do total de residentes nos domicílios, 41,0% eram naturais de outras localidades. Desse grupo, 58,8% eram originários de outros estados e 41,2% de outros municípios capixabas. Ademais, 40,7% dos filhos naturais de Linhares eram de mulheres não naturais, demonstrando a importância do efeito indireto da migração. Entre as motivações, 47,5% dos migrantes apontaram o desemprego, a falta de oportunidade de trabalho, a busca de oportunidades, a melhoria de vida e a busca de melhores condições financeiras, como fatores econômicos repulsores dos locais de origem, e 25,2% citaram o melhor mercado de trabalho, a qualidade e as oportunidades de Linhares como fatores atratores, corroborando a pacificada teoria de que a maioria das pessoas migra por motivos econômicos, especialmente impulsionadas pelas diferenças regionais. As principais escolas de pensamento econômico (clássica e neoclássica, marxista e keynesiana) influenciaram nos estudos migratórios, especialmente na mobilidade dos trabalhadores. A pesquisa também revelou que as redes migratórias influenciaram a decisão de migrar e a direção do fluxo para Linhares: 41,9% dos migrantes foram incentivados por pessoas que residiam no município, especialmente por parentes; 39,8% deles foram assistidos na chegada a Linhares, e a forma de ajuda mais citada foi a hospedagem na casa (32,6% das respostas), o que denota a força dos vínculos sociais. As redes migratórias impulsionam o fenômeno mediante as conexões entre origem e destino e proporcionam ao migrante apoio financeiro, emocional, afetivo e ajuda para que se insira no mercado de trabalho. Diante do baixo nível de instrução dos migrantes, não se observaram elementos mais aprofundados da influência da “modernidade líquida” sobre a migração, o que necessitaria de pesquisas mais específicas.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910